CONDIÇÕES DE MANUSEIO

1. As chapas devem ser desembaladas pelo cliente e transportadas para o local de uso ou armazenamento, tomando-se os devidos cuidados contra quedas e batidas que danifiquem as bordas, quinas e superfície das mesmas.

2. As chapas devem ser empilhadas na posição horizontal sobre três pontaletes de madeira, posicionados no centro da chapa e a 10 cm de cada uma das bordas, evitando-se contato com o piso. Caso não sejam utilizadas de imediato, as chapas deverão ser armazenadas em local coberto, protegidas do sol, chuva e umidade.

CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO

1. Quando do processo de corte das chapas de compensados, recomenda-se a utilização de serra de vídea com as seguintes características:

Processo de corte

RPM Diâmetro Espessura do Disco Espessura do Corte Número de Dentes
3500 350 2,5 3,8 72
3800 350 2,5 3,8 60
4200 350 2,5 4,4 54
OBS: A bancada da serra deverá ter a dimensão tal, que apóie pelo menos 2/3 da chapa, nos dois sentidos; e seja fixada de maneira que não provoque trepidação quando em funcionamento.

 
2. Quando da preparação dos painéis, recomenda-se após os cortes das chapas a pintura dos novos topos com tinta impermeabilizante, 100% à prova d’água, à base de resina sintética (para chapas resinadas, super resinadas e plastificadas). E durante a confecção e montagem dos painéis, quando da utilização de pregos, os mesmos deverão ser introduzidos no sentido perpendicular às lâminas e nunca deve-se aplicar pregos nos topos das chapas.

3. Quando da introdução das ferragens nas fôrmas, recomenda-se que as mesmas não sejam jogadas ou arrastadas e sim colocadas, apoiadas em espaçadores, sobre a superfície das chapas.

4. Quando do processo de lançamento e vibrações do concreto, recomenda-se a utilização do vibrador com ponta revestida de borracha e que seja evitado o contato da ponta do vibrador com a superfície da fôrma – o que pode ocasionar danos que comprometam a garantia das chapas de compensado.

5. Quando do processo de desforma, recomenda-se a utilização de cunhas e alavancas de madeira. Deve ser evitada a utilização de pés-de-cabra, assim como a queda dos painéis diretamente ao solo, uma vez que, esses fatores quando isolados – ou em conjunto – danificam e comprometem a garantia das chapas.

6. Quando da limpeza das fôrmas, após a desforma, recomenda-se que as mesmas deverão ser lavadas com água sob pressão e, em seguida, deverão receber nova aplicação de agentes desmoldantes para facilitar a próxima operação de desforma e, consequentemente, proporcionar uma vida útil maior às chapas.

7. O número de utilizações das chapas depende diretamente das condições de uso do material e formas de utilização para que sejam obtidos bons resultados de aproveitamento.

8. Como sugestão, deverá o cliente dar treinamento aos marceneiros, engenheiros, mestres-de-obra e demais funcionários diretamente ligados ao uso das chapas.